Loving Hut РGoi̢nia

Loving Hut РGoi̢nia

Fui surpreendido por um convite de um amigo dia desses: “Vamos a um restaurante vegano delicioso?” E confesso para vocês, minha primeira reação foi a de me perguntar o que eu faria lá, afinal, sou um entusiasta das carnes. Ou era. Sinceramente, não deixarei de comer carne tão fácil. Mas carne mesmo é algo que ultimamente anda sumida do meu cardápio em casa. Decidi aceitar o convite. O local escolhido foi o Loving Hut, aqui em Goiânia. Eu estava perdidamente desacreditado em comida vegetariana, minhas experiências com carne (e leite) de soja sempre foram meio traumáticas. Mas fui rever preconceitos.

O Loving Hut é uma franquia existente em todo o mundo. Por trás dos ideais veganos, responsabilidade e carinho são visíveis. Não existe aquela coisa chata de querer provar com discursos e palavras que X é mais saudável que Y, W preserva mais o meio ambiente do que Z… Todo mundo sabe que isso é verdade afinal… No Loving Hut eles provam isso em silêncio, só na bancada do buffet de almoço.

Minha primeira reação ao ver o buffet foi de surpresa. A cor, a textura das verduras já me ganharam de primeira. Alimentos naturais, sem agrotóxicos, me ganham fácil. Eu particularmente AMO verduras, então… Salada de grão de bico com abobrinha, farofa de cebola, feijão fradinho, arroz integral… Tudo saborosíssimo. Vamos então às carnes! Fui apresentado ao bife de glúten. Ok, estranho, porque eu sempre imaginei o tal glúten como uma coisa negativa: “não contém glúten”, mas era mais um preconceito meu. Sim, algumas pessoas não podem ingerir isso, mas olha… Parece mesmo com carne, gente!

a

A textura lembra muito as carnes nossas de cada dia. Lá no Loving Hut, pedaços de “carne de glúten” ao molho de gengibre. FANTÁSTICO. Na minha primeira refeição, ainda acrescentei uma “galinhada” vegan com algo que eu não sabia o que era. Só provei. Deliciosa também. E preciso confessar, a experiência de comer um tomate com gosto de tomate me marcou: acidez no ponto, de fato uma verdura verdadeiramente crua.

Depois disso, voltei mais duas vezes ao restaurante, em dez dias! Marca recorde pra mim! Descobri ainda o mesmo glúten acebolado, um “bife” ao molo incrível e, claro, o bolinho de soja empanado pedido à parte. Eles possuem no cardápio alguns petiscos também, que valem a provada. Só não gostei muito do tofu. Seria pedir demais. E ah, lembram daquela galinhada que eu disse ali em cima? Pois é! Tive o prazer de conversar hoje com a diretora da unidade Loving Hut em Goiânia. A simpaticíssima Sanoeth (aliás, todos ali são simpáticos, do caixa à cozinha) me explicou: a galinhada vegan deles é feita com jaca verde. Acredite, JACA. E é deliciosa.

Como se isso não bastasse, o quilo do almoço é bem mais barato que restaurantes “normais” por aí. Além disso, se você leva algum amigo não-vegetariano para almoçar lá pela primeira vez, eles te dão 50% de desconto no seu prato! Quer incentivo melhor que esse? De fato, saí de lá mais que satisfeito em todas as vezes, e pagando super barato. Sem contar que você não se sente empanturrado depois do almoço. Outro incentivo melhor. Nunca pensei em dizer isso mas…

VIDA LONGA À CULINÁRIA VEGANA BEM FEITA!

b

Experimente: o restaurante fica na rua C-238, quase esquina com a C-233, quadra 554, lote 11, no Jardim América.
Aberto de terça à sexta, das 11h às 14h; sábados e domingos das 11h às 15h.
Fone: 3087-9884.
Acesse o site clicando aqui.

 

Leave a Reply

Name*

e-Mail * (will not be published)

Website